categorias

Marcadores

7.7.17

Olá Mundo (:


Depois de 1 ano sem blog, mas ainda marcando uma presença invisível nos blogs que amo acompanhar, ficou muito claro para mim que se eu não voltasse a ter blog ia ficar o resto da vida sentindo falta. Vivo nesse mundo dos blogs há mais de 10 anos e, aparentemente, quero permanecer nele por mais um tempinho. No meio desses 10 anos para cá, ter um blog virou outra coisa: de algo pessoal passou a ser profissão e agora é meio ultrapassado ter blog, você deveria ir para o Youtube, sabia? É o que eles dizem.

Sempre tive blog por gostar de ter blog e mesmo assim tive um pouco de medo de que se eu ficasse muito tempo sem ter um, eu não poderia mais ter porque todos os blogs iam acabar. Fui brevemente contaminada pelo jargão terrorista: os blogs vão acabar, os blogs vão acabar. Já faz algum tempo que esse alarme soa internet afora e ainda temos blogs. De repente, caí na real: a blogosfera não vai acabar. Talvez as pessoas que mantiveram seus sites por trabalho migrem para outras plataformas, mas quem tem blog porque gosta de ter blog, vai continuar tendo um. Me tranquilizei e cá estou (:

(Nem vou entrar na questão de como é ruim você abrir mão de ter sua própria plataforma e manter todo o seu conteúdo dentro de uma rede social, ficando a mercê de algoritmos loucos que não enviam nada do que você posta para ninguém. Voltem para os seus próprios sites, pessoas! haha 😂).


o blog antigo

Meu blog antigo era o 187 tons de frio e ele durou de maio de 2009 até junho de 2016. Ele sempre teve uma carinha meio triste, a maior parte é por culpa dos posts chorões que eu escrevia no início, mas o próprio título também carrega uma certa melancolia que eu buscava abandonar. Eu simplesmente amo o nome 187 tons de frio, e embora ele esteja com os posts fechados e não receba mais nenhum, acho que nunca vou deletá-lo porque meu coraçãozinho não aguenta esse baque, haha.

Por mais ou menos 2 anos, tentei mudar o rumo das postagens dele numa esperança de conseguir transformar o sentimento que o blog transmitia. Eu não sou mais a pessoa que fui e não queria continuar transmitindo uma imagem de mim que não condizia mais com a realidade. Só que depois de 7 anos, o blog se tornou um organismo de complexidade muito grande para que eu pudesse simplesmente mudá-lo: era mais fácil começar do zero. Ele tem a própria personalidade, ele sempre vai ser melancólico, ele sempre vai ser a pessoa que eu fui durante esses anos, com todos os meus erros, meus acertos, meus "textos de pé quebrado" e as coisas que quero deixar para trás.

E ele sempre vai carregar uma parte ruim da minha depressão.

o blog novo

Outra razão para que eu criasse um novo blog: eu quero que sirva como uma espécie de terapia. Já devo ter citado uma outra vez no 187 tons de frio que eu tenho depressão, mas talvez nunca tenha falado abertamente sobre o assunto. Eu achava que era tabu, que eu não deveria falar sobre isso.

Mas agora eu quero falar sobre isso.

Não sobre o cotidiano e os problemas que essa doença traz, mas sobre o que eu quero fazer para mudar esse aspecto da minha vida. Eu quero visitar lugares e postar aqui. Eu quero ler livros e postar aqui. Eu quero pensar coisas alegres e postar aqui. Eu quero fazer de mim uma pessoa melhor e postar aqui. Quero que o blog novo tenha uma essência mais feliz porque é isso que eu almejo quase desesperadamente, hahaha. Meu desejo é ser uma pessoa aperfeiçoada em vários aspectos. Melhorar mentalmente é com certeza a maior parte da mudança, mas fisicamente também preciso de um up.

O bloguinho novo não vai ser uma terapia no sentido estrito da palavra, ou seja, compartilhar com uma pessoa todos os "fantasmas mancos" que a gente tem, e sim como se fosse um pedaço da minha rotina, uma incorporação do meu tratamento, uma desculpa para eu estar sempre focando em coisas incríveis e felizes e maravilhosas, sabe? 💫
A propósito: como vocês fazem para se abrir e conversar com o psicólogo sobre todos os sentimentos esquisitos e aflições que vocês carregam? Eu não consigo falar sobre essas coisas nem com quem eu amo, imagina com uma pessoa estranha!? De jeito nenhum isso vai rolar nessa encarnação, haha.

Um lugar onde as estrelas são selvagens?

Sim, pequeno gafanhoto. Sabe aquele "lá fora" que na real não é lá fora de verdade? Pois é :) Quando eu resolvi que ia criar um novo blog, logo de cara decidi não abrir mão de ter um nome mais único, como era o caso do blog antigo (mas depois veio o famigerado 50 tons de cinza e quase estragou o rolê: no analytics sempre aparecia a busca "187 tons de cinza" hahaha 😓).

Comecei procurando no universo. Primeiro pensei em algo com a Via Láctea, amo a sonoridade em inglês "Milky Way", mas achei que em português soaria um pouco estranho e também não consegui pensar em nada legal para formar uma frase engraçadinha, hehe. Continuando a busca, acabei indo parar no site da Nasa! E foi lendo os posts que encontrei o nome perfeito: Onde as Estrelas são Selvagens.

Tantas galáxias, quasares, buracos negros, planetas... E tudo numa proporção tão gigante que eu fico meio abobalhada só de pensar no tamanho que as coisas "lá fora" tem. E em como nós somos tão pequenos diante dessa vastidão. E em como lá longe existem estrelas explodindo, morrendo e nascendo. Selvagens.

É um nome legal para um blog, você não acha?

O layout

Quem já me conhece, sabe que eu tenho um siricutico com layouts. Por mais que eu e os leitores do blog gostássemos do resultado, o vírus transmissor da Síndrome do Layout Perfeito sempre me picava e eu ficava trocando o layout o tempo todo. Agora eu quero manter o mesmo layout por 1 ano (ou, no mínimo, 6 meses), então:

a) ou eu me acostumo a ficar muito tempo com o mesmo layout
b) ou eu me acostumo a ficar muito tempo com o mesmo layout

Durante esses meses em que eu estava ensaiando a minha volta, acho que fiz uns 6 layouts no photoshop. Sério. Descartei todos. Fiz muitas versões porque eu estava tentando fugir do combo background cinza + post branco que eu usei por pelo menos 5 anos sem descanso lá no 187 tons de frio, hahaha. Amo essa combinação na mesma proporção que amo minimalismo e linhas retas, mas eu queria mudar um pouco.


O que vocês acharam do layout?


Vamos ser amigos

Em todos esses anos nessa indústria vital, essa é a primeira vez que faço um post introdutório num blog, acho que me saí bem depois de ficar tantos meses sem escrever posts, né?

Ainda faltam alguns ajustes finais (sempre, né?), mas eu espero que vocês tenham gostado do novo lugar e espero que me acompanhem por aqui. Prometo que vai ser legal.

Vocês também podem me encontrar em algumas redes sociais:

Quem adivinha o que "gamma corvi" tem a ver com o nome do blog? Vale um post com freebie, haha!
Vejo vocês em breve, até já :)

Depois de 1 ano sem blog, mas ainda marcando uma presença invisível nos blogs que amo acompanhar, ficou muito claro para mim que se eu não voltasse a ter blog ia ficar o resto da vida sentindo falta. Vivo nesse mundo dos blogs há mais de 10 anos e, aparentemente, quero permanecer nele por mais um tempinho. No meio desses 10 anos para cá, ter um blog virou outra coisa: de algo pessoal passou a ser profissão e agora é meio ultrapassado ter blog, você deveria ir para o Youtube, sabia? É o que eles dizem.

Sempre tive blog por gostar de ter blog e mesmo assim tive um pouco de medo de que se eu ficasse muito tempo sem ter um, eu não poderia mais ter porque todos os blogs iam acabar. Fui brevemente contaminada pelo jargão terrorista: os blogs vão acabar, os blogs vão acabar. Já faz algum tempo que esse alarme soa internet afora e ainda temos blogs. De repente, caí na real: a blogosfera não vai acabar. Talvez as pessoas que mantiveram seus sites por trabalho migrem para outras plataformas, mas quem tem blog porque gosta de ter blog, vai continuar tendo um. Me tranquilizei e cá estou (:

(Nem vou entrar na questão de como é ruim você abrir mão de ter sua própria plataforma e manter todo o seu conteúdo dentro de uma rede social, ficando a mercê de algoritmos loucos que não enviam nada do que você posta para ninguém. Voltem para os seus próprios sites, pessoas! haha 😂).


o blog antigo

Meu blog antigo era o 187 tons de frio e ele durou de maio de 2009 até junho de 2016. Ele sempre teve uma carinha meio triste, a maior parte é por culpa dos posts chorões que eu escrevia no início, mas o próprio título também carrega uma certa melancolia que eu buscava abandonar. Eu simplesmente amo o nome 187 tons de frio, e embora ele esteja com os posts fechados e não receba mais nenhum, acho que nunca vou deletá-lo porque meu coraçãozinho não aguenta esse baque, haha.

Por mais ou menos 2 anos, tentei mudar o rumo das postagens dele numa esperança de conseguir transformar o sentimento que o blog transmitia. Eu não sou mais a pessoa que fui e não queria continuar transmitindo uma imagem de mim que não condizia mais com a realidade. Só que depois de 7 anos, o blog se tornou um organismo de complexidade muito grande para que eu pudesse simplesmente mudá-lo: era mais fácil começar do zero. Ele tem a própria personalidade, ele sempre vai ser melancólico, ele sempre vai ser a pessoa que eu fui durante esses anos, com todos os meus erros, meus acertos, meus "textos de pé quebrado" e as coisas que quero deixar para trás.

E ele sempre vai carregar uma parte ruim da minha depressão.

o blog novo

Outra razão para que eu criasse um novo blog: eu quero que sirva como uma espécie de terapia. Já devo ter citado uma outra vez no 187 tons de frio que eu tenho depressão, mas talvez nunca tenha falado abertamente sobre o assunto. Eu achava que era tabu, que eu não deveria falar sobre isso.

Mas agora eu quero falar sobre isso.

Não sobre o cotidiano e os problemas que essa doença traz, mas sobre o que eu quero fazer para mudar esse aspecto da minha vida. Eu quero visitar lugares e postar aqui. Eu quero ler livros e postar aqui. Eu quero pensar coisas alegres e postar aqui. Eu quero fazer de mim uma pessoa melhor e postar aqui. Quero que o blog novo tenha uma essência mais feliz porque é isso que eu almejo quase desesperadamente, hahaha. Meu desejo é ser uma pessoa aperfeiçoada em vários aspectos. Melhorar mentalmente é com certeza a maior parte da mudança, mas fisicamente também preciso de um up.

O bloguinho novo não vai ser uma terapia no sentido estrito da palavra, ou seja, compartilhar com uma pessoa todos os "fantasmas mancos" que a gente tem, e sim como se fosse um pedaço da minha rotina, uma incorporação do meu tratamento, uma desculpa para eu estar sempre focando em coisas incríveis e felizes e maravilhosas, sabe? 💫
A propósito: como vocês fazem para se abrir e conversar com o psicólogo sobre todos os sentimentos esquisitos e aflições que vocês carregam? Eu não consigo falar sobre essas coisas nem com quem eu amo, imagina com uma pessoa estranha!? De jeito nenhum isso vai rolar nessa encarnação, haha.

Um lugar onde as estrelas são selvagens?

Sim, pequeno gafanhoto. Sabe aquele "lá fora" que na real não é lá fora de verdade? Pois é :) Quando eu resolvi que ia criar um novo blog, logo de cara decidi não abrir mão de ter um nome mais único, como era o caso do blog antigo (mas depois veio o famigerado 50 tons de cinza e quase estragou o rolê: no analytics sempre aparecia a busca "187 tons de cinza" hahaha 😓).

Comecei procurando no universo. Primeiro pensei em algo com a Via Láctea, amo a sonoridade em inglês "Milky Way", mas achei que em português soaria um pouco estranho e também não consegui pensar em nada legal para formar uma frase engraçadinha, hehe. Continuando a busca, acabei indo parar no site da Nasa! E foi lendo os posts que encontrei o nome perfeito: Onde as Estrelas são Selvagens.

Tantas galáxias, quasares, buracos negros, planetas... E tudo numa proporção tão gigante que eu fico meio abobalhada só de pensar no tamanho que as coisas "lá fora" tem. E em como nós somos tão pequenos diante dessa vastidão. E em como lá longe existem estrelas explodindo, morrendo e nascendo. Selvagens.

É um nome legal para um blog, você não acha?

O layout

Quem já me conhece, sabe que eu tenho um siricutico com layouts. Por mais que eu e os leitores do blog gostássemos do resultado, o vírus transmissor da Síndrome do Layout Perfeito sempre me picava e eu ficava trocando o layout o tempo todo. Agora eu quero manter o mesmo layout por 1 ano (ou, no mínimo, 6 meses), então:

a) ou eu me acostumo a ficar muito tempo com o mesmo layout
b) ou eu me acostumo a ficar muito tempo com o mesmo layout

Durante esses meses em que eu estava ensaiando a minha volta, acho que fiz uns 6 layouts no photoshop. Sério. Descartei todos. Fiz muitas versões porque eu estava tentando fugir do combo background cinza + post branco que eu usei por pelo menos 5 anos sem descanso lá no 187 tons de frio, hahaha. Amo essa combinação na mesma proporção que amo minimalismo e linhas retas, mas eu queria mudar um pouco.


O que vocês acharam do layout?


Vamos ser amigos

Em todos esses anos nessa indústria vital, essa é a primeira vez que faço um post introdutório num blog, acho que me saí bem depois de ficar tantos meses sem escrever posts, né?

Ainda faltam alguns ajustes finais (sempre, né?), mas eu espero que vocês tenham gostado do novo lugar e espero que me acompanhem por aqui. Prometo que vai ser legal.

Vocês também podem me encontrar em algumas redes sociais:

Quem adivinha o que "gamma corvi" tem a ver com o nome do blog? Vale um post com freebie, haha!
Vejo vocês em breve, até já :)

Instagram